Publicações

  • Tese Mestrado: Avaliação das técnicas de apoio psicológico a crianças internadas em Unidades de Terapia Intensiva e a seus pais

    Dissertação  de Mestrado apresentada à Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo em 1977; 150 pág.

    Com o advento das UTIs Pediátricas e Neonatais e a recuperação cada vez mais freqüente de crianças gravemente enfermas, tornou-se necessária a especialização do pediatra nesta área. No entanto, apesar do avanço e crescente sofisticação dos recursos tecnológicos para tratamento clínico e cirúrgico destas crianças, constatou-se que o conhecimento e abordagem do
    impacto psicológico da doença grave na criança e sua família ainda é bastante rudimentar.

    Tendo em vista esta questão, a autora realizou uma revisão crítica da literatura a respeito dos recursos, técnicas psicoterapêuticas e métodos de intervenção utilizados para a abordagem e apoio psicológico à criança internada em Unidades de Terapia Intensiva e a seus pais, visando o enfrentamento desta situação crítica.

    Os autores foram unânimes em afirmar que todas as técnicas e recursos para apoio psicológico ao doente grave e sua família requerem a conscientização de sua importância, preparo e tempo dos profissionais envolvidos.

    www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5141/tde-19042007-163438/publico/soniamariabaldinifim.pdf

  • Tese de DoutoradoAvaliação das reações dos pais à internação do filho em unidade de terapia intensiva e desenvolvimento de uma proposta de apoio psicológico

    Tese de Doutorado apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 2001, 183 pág.

    Objetivos: Realizar uma avaliação das reações dos pais à internação do filho em unidade de terapia intensiva e desenvolver uma proposta de apoio psicológico.

    Casuística: Foram entrevistados 48 pais em unidade de terapia intensiva pediátrica e 27 em unidade de terapia intensiva neonatal, além dos pais que participaram nos grupos de pais.

    Métodos: 1) Realização de entrevistas semi-dirigidas com os pais, utilizando questionários previamente elaborados, à admissão do paciente e durante sua internação;

    2) Avaliação do nível de ansiedade dos pais à internação do filho, pela aplicação do Inventário de ansiedade traço-estado; e

    3) Realização de grupos de pais em unidade de terapia intensiva pediátrica, com a participação de equipe multiprofissional. Resultados: Em ambas as unidades de terapia intensiva as reações mais freqüentemente citadas pelos pais ao início da internação foram de desespero e tristeza, e citaram as necessidades de apoio psicológico como as mais importantes neste momento. Os principais sentimentos relatados no decorrer da internação foram de preocupação, medo e tristeza, e a maioria dos pais em ambas as UTIs ficaram assustados com a aparência do filho. Os níveis de ansiedade mostraram-se significativamente elevados à ocasião da internação do filho, não havendo diferença entre os pais em UTI pediátrica e neonatal. O grupo de pais
    revelou-se uma técnica eficaz de apoio psicológico em UTI.

    Conclusões: Há necessidade de apoio psicológico aos pais de pacientes pediátricos internados tanto em UTI pediátrica como neonatal, pelo elevado nível de ansiedade, desespero e tristeza que apresentam à internação do filho.

    As entrevistas semidirigidas com a aplicação dos questionários propostos para avaliação dos pais mostraram-se estratégias adequadas para a investigação do estado emocional desses pais e constituem formas eficientes de fornecer apoio psicológico durante a realização das mesmas.

    O grupo de pais possibilitou o contato direto com profissionais de diversas áreas, com disposição a escutá-los, valorizá-los, compreender seus sentimentos e esclarecer suas dúvidas. Permitiu o convívio com outros pais em fases diferentes da mesma situação, mobilizando recursos para lidar com o período crítico da doença e internação e o apoio no processo de luto do filho saudável para conseguirem um vínculo satisfatório com o filho doente. A questão da morte, as dificuldades com a equipe, a falta de apoio de familiares e outras questões extremamente angustiantes puderam ser ampla e abertamente discutidas nos grupos, trazendo esclarecimentos e alívio.

    A reunião com a equipe após os grupos mostrou-se de extrema importância para a uniformização de condutas, entendimento das reações dos pais, e discussões relativas ao relacionamento entre eles e a equipe.
    Em relação às entrevistas individuais semi-dirigidas, o grupo de pais mostrou-se uma estratégia complementar, já que os mesmos problemas e queixas são discutidos de formas diferentes nos dois tipos de atendimento.

    www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5141/tde-01062007-111724/publico/soniambaldini.pdf

    TRABALHOS PUBLICADOS EM REVISTAS CIENTÍFICAS:

  • Trabalho publicado na REVISTA PEDIATRIA SÃO PAULO: A “SÍNDROME DA CRIANÇA DADA POR MORTA EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA”. Em colaboração com Vera L. J. Krebs, vol 20 (3), p. 247-254, 1998.Revisões e ensaios – reviews and essays – Pediatria (São Paulo)

    www.pediatriasaopaulo.usp.br/upload/pdf/379.pdf

    www.pediatriasaopaulo.usp.br/index.php?p=html&id=379

  • Trabalho publicado na REVISTA PEDIATRIA SÃO PAULO: “A CRIANÇA HOSPITALIZADA”. Em colaboração com Vera L. J. Krebs, 1998, v. 21; p. 182-90, 1999.Artigos sobre ensinoteaching articles – Pediatria (São Paulo) – USP

    pediatriasaopaulo.usp.br/upload/pdf/421.pdf

  • Trabalho publicado na Revista Pediatria São Paulo: Distúrbios do Sono em Crianças Vol. 16 no. 4, 1994 pags. 161 a 166, em colaboração com Salvador de R. Busse.
    Resumo: Os autores após introdução mostrando caracrterísticas do sono normal, discutem os distúrbios do sono em lactentes e crianças sob uma perspectiva do desenvolvimento.
    www.pediatriasaopaulo.usp.br/upload/pdf/172.pdf
  • Trabalho publicado na REVISTA PEDIATRIA SÃO PAULO: “GRUPOS DE PAIS: NECESSIDADE OU SOFISTICAÇÃO NO ATENDIMENTO EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA?” Em colaboração com Vera L. J. Krebs, vol. 20 (4), p. 323-331, 1998.

    www.pediatriasaopaulo.usp.br/index.php?p=html&id=390

    pediatriasaopaulo.usp.br/upload/pdf/390.pdf

    www.pediatriasaopaulo.usp.br/upload/html/390/body/06.htm

    Participação na sessão ” Respostas ao leitor ” do JORNAL DE PEDIATRIA da Sociedade Brasileira de pediatria, vol. 69 (2), 1993.

    Trabalho publicado na REVISTA PSIQUIATRIA CLÍNICA ; vol XX, no. 4, dezembro de 1993: Relato de caso: Anorexia nervosa tratada com clorpromazina, em colaboração com Salvador de Rosis Busse.

    Resumo: É relatado o caso de uma adolescente com sintomas de anorexia e desnutrição severa, submetida a nutrição parental, sem resultados. Realizada avaliação psiquiátrica, foi feito o diagnóstico de Anorexia Nervosa, tendo boa evolução com o uso de clorpromazina.

    Trabalho publicado na Revista Infanto – Revista de Neuropsiquiatria da Infância e Adolescência volume II, no. 1, abril de 1994.

    Artigo original: uso da clozapina em uma paciente esquizofrênica juvenil, em colaboração com Salvador de Rosis Busse.

    Resumo: Os autores relatam o caso de um jovem portadora de esquizofrenia juvenil, que após ser submetida a várias modalidades terapêuticas, apresentou melhora considerável com a introdução da clozapina.

    Trabalho publicado na REVISTA PAULISTA DE PEDIATRIA, da Sociedade de Pediatria de São Paulo como tema livre do VIII CONGRESSO PAULISTA DE PEDIATRIA, em colaboração com Francisco Baptista Assumpção Jr.: TEORIA DA MENTE – COMPARAÇÃO ENTRE AUTISTAS E DEFICIENTES MENTAIS, vol. 16, n. 1, suplemento, março de 1998, pág. 39.

    Trabalho publicado na Revista Infanto – Revista de neuropsiquiatria da infância e adolescência , 3(2): 20-22, agosto de 1995, sob o título: “Falando sobre sexualidade com nossos filhos, em colaboração com Afrânio de Matos Ferreira.

    Resumo: Os autores fazem uma reflexão sobre o assunto da sexualidade infantil, orientando o pediatra no aconselhamento dos pais sobre a importância de se conversar sobre sexualidade com os filhos de maneira natural e precoce.

    Trabalho publicado na Revista Infanto – Revista de Neuropsiquiatria da Infância e Adolescência, 9(2), p. 45-54, 2001, sob o título “Utilização do grupo de pais como recurso para o apoio psicológico de pais de crianças internadas em UTI, em col. com Krebs, V.L.J.

    Trabalho publicado na Revista Infanto – Revista de Neuropsiquiatria da Infância e Adolescência, v. 10, n. 3, p. 108-113, dezembro de 2002, sob o título: “Avaliação do grau de ansiedade dos pais à internação do filho em UTI pediátrica e neonatal, em col. Com Krebs, V.L.J.

    BASE EXCESS” – PARÂMETRO QUESTIONÁVEL NA AVALIAÇÃO METABÓLICA DURANTE ESTADOS DE BAIXA PERFURAÇÃO TECIDUAL – Estudo Clínico e Experimental. Em colaboração com: Fiorelli, A.I.; Gomes, O.M.; Moraes, N.L.T.B.; Castro, G.B.; Sayah, A.; Salgado, D.C.F.; Santos, D.N.; Santos, G.; Souza, A.A.; Jablonka, S.; Figueiredo, D.; Alencar,N.; Bittencourt, D.
    e Zerbini, E.J. An Hosp Sid Nac 1 (4) : 16, dez 1977.
    Participação na sessão ” Respostas ao leitor ” do JORNAL DE PEDIATRIA da Sociedade Brasileira de pediatria, vol. 69 (2), 1993.

    Trabalho publicado na REVISTA PSIQUIATRIA CLÍNICA ; vol XX, no. 4, dezembro de 1993: Relato de caso: Anorexia nervosa tratada com clorpromazina, em colaboração com Salvador de Rosis Busse.
    Resumo: É relatado o caso de uma adolescente com sintomas de anorexia e desnutrição severa, submetida a nutrição parental, sem resultados. Realizada avaliação psiquiátrica, foi feito o diagnóstico de Anorexia Nervosa, tendo boa evolução com o uso de clorpromazina.

    Trabalho publicado na REVISTA PAULISTA DE PEDIATRIA, da Sociedade de Pediatria de São Paulo como tema livre do VIII CONGRESSO PAULISTA DE PEDIATRIA, em colaboração com Francisco Baptista Assumpção Jr.: TEORIA DA MENTE –  COMPARAÇÃO ENTRE AUTISTAS E DEFICIENTES MENTAIS, vol. 16, n. 1, suplemento, março de 1998, pág. 39.
    Trabalho publicado na Revista Infanto – Revista de neuropsiquiatria da infância e adolescência , 3(2): 20-22, agosto de 1995, sob o título: “Falando sobre sexualidade com nossos filhos, em colaboração com Afrânio de Matos Ferreira.
    Resumo: Os autores fazem uma reflexão sobre o assunto da sexualidade infantil, orientando o pediatra no aconselhamento dos pais sobre a importância de se conversar sobre sexualidade com os filhos de maneira natural e precoce.
    ” OXYGEN DIFFUSION VELOCITY ” – A NEW PARAMETER OF EARLY DIAGNOSIS OF PULMONARY OEDEMA
    Em colaboração com: Fiorelli, A.I.; Gomes, O.M.; Moraes, N.L.T.B.; Santos, J.C.; Sayah, A.; Souza, A.A.; Castro, B.; Santos, C.; Salgado, C.F. 6th International Annual Symposium on Acute Care, by Springer Verlag – Heidelberg, março, 1979.
    Autora do trabalho publicado na revista Arch Pediatria Urug, v. 69, p.71-7, 1998, sob o título “Reacciones de los padres frente a la internación del niño enfermo en un centro de terapia intensiva”, em col. Com Krebs, V.L.J.; Ceccon, M.E.J.R.; Vaz,F.A.C.
    TRABALHOS APRESENTADOS EM CONGRESSOS
    Trabalho apresentado na sessão de mural do XXXVIII Congresso da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Rio de Janeiro, 24 a 28 de outubro de 1982, com o título: “ANEURISMA DE RAMO LOBAR DIREITO DA ARTÉRIA PULMONAR NO CURSO DE  ENDOCARDITE INFECCIOSA”. Em colaboração com: Miura, N.; Ebaid, M.; Bustamante, L.; N.P.; Mansur, A.J.; Assis, R.V.C.;
    Ikari, O.Y.; Stolf, N. G.; Barbas Filho, J.V.; Pileggi, F.Instituto do Coração HC-FMUSP, São Paulo.
    Trabalho apresentado como autora na sessão de temas livres do VIII Congresso Paulista de Pediatria, em 30 de março de 1998, com o título “Teoria da Mente – Comparação entre autistas e deficientes mentais”, realizado no Serviço de Psiquiatria da  infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP em colaboração com Francisco B. Assumpção Jr., e publicado na Rev. Paulista de Pediatria, vol. 16, n. 1, supl. Março de 1998.

    RESUMO: O estudo tem por objetivo verificar de modo simples a diferença na utilização da teoria da mente entre indivíduos diagnosticados como autistas e portadores da Síndrome de Down, uma vez que se propõe a falha na teoria da mente como o ponto básico do autismo. Os autores examinam através de duas provas referentes à teoria da mente, três grupos compostos
    por escolares normais, portadores da Síndrome de Down e crianças autistas. Os resultados observados são significativamente diferentes não somente entre as crianças normais e as crianças autistas e as portadoras da Síndrome de Down. Dessa maneira, concluem da dificuldade em se considerar o autismo como unicamente um comprometimento da teoria da mente uma vez que essa parece estar afetada em problemas cognitivos mais amplos como aqueles observados nos quadros de retardo mental.

    Trabalho apresentado no Instituto Sedes Sapientiae em 03 de junho de 2002, sob o título “Reflexões sobre as vicissitudes da pulsão de morte”, na mesa: – Desdobramentos da Pulsão, do II Colóquio do Curso de Psicanálise, com carga horária de 2 horas.Trabalho apresentado no 32º. Congresso Brasileiro de Pediatria e 10º. Congresso Paulista de Pediatria realizado em São Paulo, no período de 07 a 11 de outubro de 2003, na qualidade de Pôster, sob o título “Utilização do grupo de pais como recurso para o apoio psicológico de pais de crianças internadas em unidade de terapia intensiva”, em co-autoria com Krebs,V.L.J.Trabalho apresentado no 32º. Congresso Brasileiro de Pediatria e 10º. Congresso Paulista de Pediatria realizado em São Paulo, no período de 07 a 11 de outubro de 2003, na qualidade de Pôster, sob o título “ Avaliação do grau de ansiedade dos pais à internação do filho em UTI pediátrica e neonatal”, em co-autoria com Krebs,V.L.J.

    “BASE EXCESS” – PARÂMETRO QUESTIONÁVEL NA AVALIAÇÃO METABÓLICA DURANTE ESTADOS DE BAIXA PERFURAÇÃO TECIDUAL – Estudo Clínico e Experimental. Em colaboração com: Fiorelli, A.I.; Gomes, O.M.; Moraes, N.L.T.B.; Castro, G.B.; Sayah, A.; Salgado, D.C.F.; Santos, D.N.; Santos, G.; Souza, A.A.; Jablonka, S.; Figueiredo, D.; Alencar,N.; Bittencourt, D.
    e Zerbini, E.J. An Hosp Sid Nac 1 (4) : 16, dez 1977.

    LIVRO E CAPÍTULO DE LIVRO:

    PROBLEMAS DE COAGULAÇÃO SANGUÍNEA EM CRIANÇAS COM CARDIOPATIAS CONGÉNITAS CIANÓTICAS Do Capítulo HEMATOLOGIA E O CORAÇÃO Em colaboração com: GOMES, O.M.; VAZ, F.A.C.; HALSMAN, M. PEDIATRIA CARDIOLÓGICA

    Editora SARVIER, São Paulo, 1982

    Capítulo de Livro: QUALIDADE DE VIDA EM PEDIATRIA Coordenadores: Francisco Baptista Assumpção Jr. e Evelyn Kuczynski

    publicado pela Editora Artmed em São Paulo, em 6 de outubro de 2009.

    Autora do livro: HUMANIZAÇÃO EM UTI PEDIÁTRICA E NEONATAL, em colaboração com Krebs, V.L.J, Editora Atheneu, 2010.

Bitnami